Exercício físico e diabetes mellitus

Você prescreve treinamento para alunos diabéticos? Já ouviu falar em hemoglobinas modificadas pelo o açúcar (Glico – Hemoglobina, GHb). A formação da GHb ocorre via uma reação de glicação não enzimática (proteínas (hemoglobina) + glicose), ou seja, essa reação ocorre sem ações de enzimas e é vista, quando o corpo não produz insulina suficiente, afim de, facilitar o processo de captação e utilização da glicose. A GHb é um termo genérico e inclui todas as hemoglobinas modificadas com a glicose ou outros açucares, incluindo a HbA1 e suas frações: HbA1a, HbA1c, HbA1d, HbS, HbF e HbC.

Este é um dos exames laboratoriais mais importantes para o controle da glicemia, a Associação Americana de Diabetes (ADA), recomenda que esta avaliação seja realizada em intervalos de 4 a 6 meses.  A GHb e sua fração HbA1c tem uma grande relação com o risco de desenvolvimento da complicações clínicas do diabetes mellitus (nefropatia, retinopatia, neuropatias, etc…), veja imagem abaixo.

Sendo assim, além do controle diário da glicemia (saldo atual) é de fundamental importância a realização do teste A1C, este mede o saldo médio de glicose através da concentração de GHb (glicemia pregressa dos últimos dois a quatro meses), confira a imagem a baixo.

Dessa forma, uma das alternativa para manutenção efetiva do controle glicêmico é a realização do exercício físico regular. Já é sabido que o exercício físico contribui de forma importante para a captação (redução) e utilização da glicose como fonte de energia (ATP), durante o momento do exexercício e até mesmo a pós o termino do mesmo. Devido a efetividade do exercício no controle glicêmico, diversas instituições desenvolveram diretrizes para que o exercício físico (aeróbio contínuo, HIIT e resistido) seja realizado de forma segura e efetiva. Sendo assim, seguem algumas orientações para o exercício aeróbio contínuo e resistido.

Exercício aeróbio contínuo

 

Exercício resistido (musculação)

Exercícios: 8 a 10 exercícios (multiarticular ou multsegmentar)

Intensidade: 10 a 15RM e posteriormente 8 a 10RM

Séries: 1 a 3

Intervalo: 1 a 2 minutos

Frequência: 2 a 3 dias/semana


Recomendações: ACSM, 1997; ACSM, 2000; ADA, 2006, Over e Laughlin, 2016


Este e outros assuntos serão discutidos em nosso encontro técnico para atualização e capacitação profissional.

Clique aqui e saiba mais !


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *